Não Culpe o Capitalismo



Pessoal, eu,

Anselmo Heidrich, o Fernando Raphael Ferro de Lima e o Luis Lopes Diniz Filho,

administradores dos blogs


respectivamente, acabamos de lançar um libelo da GEOGRAFIA ANTI-MARXISTA, o 1º do país!

Prestigiem...

Compre o livro NÃO CULPE O CAPITALISMO nos links abaixo:




quinta-feira, outubro 29, 2015

Um mero fruto da pedagogia da leniência





Isso não é novidade. Mas é bom que agora tenha vindo esse e outros casos à tona (graças aos celulares!). O negócio é o seguinte, tudo que está aí é sim resultado da mentalidade de quem administra e legisla a educação pública no Brasil e, mesmo nas escolas privadas têm que se marchar de acordo com o compasso dos pedagogos. Estes profissionais, mais do que os professores que enfrentam a gurizada em sala de aula é que são os grandes responsáveis por isto tudo. Agora, uma questão de ordem, não é bombeiro nem polícia que tem que ser chamado. Até onde sei é o conselho tutelar. Confere? Outro detalhe digno de nota, antes que digam que é uma questão social subtendendo como mera baixa renda, pelo que se observa não é uma escola de clientela pobre não, pelo contrário. Porque nunca foi na realidade uma questão de renda e sim de educação perdida, que jogaram fora ao depurar excessos cometidos no passado. Como se diz, jogaram o bebê fora com a água suja do banho. Não se revoluciona nada, mas se reforma quando se quer evoluir e melhorar. O problema dos 'educadores', autointitulados educadores é que se vive de mitos revolucionários e se deleta tudo de bom e útil que já existia. Daí dá nisso mesmo, indisciplina e desrespeito generalizados.

Agora confiram esta matéria do SBT-Rio:

https://www.facebook.com/sbtriooficial/videos/794900430618941/?fref=nf

Agora, a repórter se supera na ignorância... Ao criticar o secretário de educação (quem protestou contra a divulgação do vídeo) culpou, não importa se explícita ou implicitamente, os profissionais ali envolvidos que, inclusive, não tocaram na criança de modo acintoso para que ela parasse com sua destruição, em consonância com a lei e o temor de receber processos. O que esta repórter não sabe é que estes profissionais mostraram como esta situação se processa, normalmente aliás, com a aceitação implícita de todo um estatuto que coloca a atividade educacional de joelhos frente a uma ditadura do "coitadismo", para a qual toda criança, por mais mal educada que seja, possa se desenvolver como um aprendiz de tiranete. 

E o que as autoridades competentes(sic) querem? Que se ignore e não grave nada, não divulgue nada.


*Faça sua parte, divulgue este vídeo com comentário. Lutemos contra isto criando uma consciência oposta.



Nenhum comentário:

Postar um comentário