Não Culpe o Capitalismo



Pessoal, eu,

Anselmo Heidrich, o Fernando Raphael Ferro de Lima e o Luis Lopes Diniz Filho,

administradores dos blogs


respectivamente, acabamos de lançar um libelo da GEOGRAFIA ANTI-MARXISTA, o 1º do país!

Prestigiem...

Compre o livro NÃO CULPE O CAPITALISMO nos links abaixo:




domingo, julho 31, 2011

Habitação nas coxas


Neste artigo há um bom exemplo de como se processa a ocupação ilegal e caótica na cidade de Florianópolis. Isto, numa capital que reserva a si própria o título de "capital turística do Mercosul" e da qual, recentemente, foi objeto de divulgação em um jornal estrangeiro pelo boom imobiliário que atravessa.

É incrível a falta de isonomia no tratamento da qualidade de vida urbana dado por nossos gestores públicos, o que não inclui apenas o executivo, bem entendido.

...

Black Sabbath - Laguna Sunrise


...

Anomia na sociedade da perfeição


sábado, julho 30, 2011

Encruzilhada de Humala


(...) Oscar Ugarteche, um importante intelectual, escreveu para agência de imprensa latino-americana Alai-AmLatina, “para todos, Humala é uma interrogação, mas Fujimori é uma certeza.”Ugarteche resumiu a eleição dizendo que “o que é mais significativo, contudo, é o regresso do Peru à América do Sul.” Veremos até que ponto Humala será capaz de chegar em termos de redistribuição de rendimentos e de restauração dos direitos da maioria indígena. Mas a contra-ofensiva geopolítica dos Estados Unidos, a Aliança do Pacífico, está desfeita.
Vitória de Humala desfaz planos dos EUA | Jornal Correio do Brasil

Se há uma coisa que não dá para ter certeza na vida é o destino histórico das nações. Aliás, "destino" é uma palavra inadequada também, pois não tem como se pré-determinar algo como as relações políticas e comerciais entre estados independentes que dependem, por sua vez, de n-fatores. No curto prazo, talvez alguma coisa ainda dê para dizer que "está para acontecer", mas no longo... Quem diria que o colosso soviético cairia algumas décadas depois do início do Pós-Guerra? Quem diria que os EUA ficariam devedores ao ponto de se cogitar declarar a moratória? Quem diria que o Brasil se tornaria um grande produtor de petróleo? Etc. etc. e etc. Agora, essa situação na América do Sul... O Peru está buscando um caminho que tenta sanar velhos problemas continentais, como sua imensa base de pobres destituídos de acesso ao mercado de consumo, o que as esquerdas chamam de excluídos. Isto dá para desconsiderar? Buscar resolver problemas como esses significa "ser comunista"? Óbvio que a resposta é "depende como". O que não se pode é dizer que porque o candidato tem uma ascendência ideológica da esquerda significa que adotará métodos autoritários da pior fase do comunismo, assim como os auto-declarados "de direita" não são necessariamente apoiadores de ditaduras ou típicas quarteladas latino-americanas, mas sim a favor da democracia representativa, do estado de direito e da economia de mercado. 

E se Humala realmente abandonou o chavismo para se aproximar de um modelo a la Lula, então a chamada "Aliança do Pacífico" e a presença dos EUA não estão de todo descartadas.

...

Ditados Gaúchos


-Mais feliz que puta em dia de pagamento de quartel
-Quieto no canto como guri cagado...
-Mais ligado que rádio de preso
-Mais curto que coice de porco
-Firme que nem prego em polenta
-Mais nojento que mocotó de ontem
-Saracoteando mais que bolacha em boca de véia
-Solto que nem peido em bombacha
-Mais curto que estribo de anão
-Mais pesado que sono de surdo
-Calmo que nem água de poço
-Mais amontoado que uva em cacho
-Mais perdido que cego em tiroteio
-Mais perdido que cachorro em dia de mudança
-Mais perdido do que cusco em procissão
-Mais faceiro que guri de bombacha nova
-Mais assustado que véia em canoa
-Mais angustiado que barata de ponta-cabeça
-Mais por fora que quarto de empregada
-Mais por fora que surdo em bingo
-Mais sofrido que joelho de freira em semana Santa
-Feliz que nem lambari de sanga
-Mais ansioso que anão em comício
-Mais apertado que bombacha de fresco
-Mais apressado que cavalo de carteiro
-Mais arisca do que china que não quer dar
-Mais atirado que alpargata em cancha de bocha
-Mais baixo que vôo de marreca choca
-Mais bonita que laranja de amostra
-De boca aberta que nem burro que comeu urtiga
-Mais chato que gilete caída em chão de banheiro
-Mais caro que argentina nova na zona
-Mais cheio que corvo em carniça de vaca atolada
-Mais constrangido que padre em puteiro
-Mais conhecido que parteira de campanha
-Mais comprido que puteada de gago
-Mais comprido que cuspe de bêbado
-Mais coxuda que leitoa em engorde
-Devagarzito como enterro de viúva rica
-Mais difícil que nadar de poncho
-Mais duro que salame de colônia
-Mais encolhido que tripa na brasa
-Extraviado que nem chinelo de bêbado
-Mais faceiro que mosca em tampa de xarope
-Mais faceiro que ganso novo em taipa de açude
-Mais faceiro que pica-pau em tronqueira
-Mais feio que briga de foice no escuro
-Mais feio que sapato de padre
-Mais feio que paraguaio baleado
-Mais feio que indigestão de torresmo
-Mais firme que palanque em banhado
-Mais por fora que cotovelo de caminhoneiro
-Mais gasto que fundilho de tropeiro
-Mais gostoso que beijo de prima
-Mais grosso que dedo destroncado
-Mais grosso que rolha de poço
-Mais grosso que parafuso de patrola
-Mais informado que gerente de funerária
-Mais medroso que cascudo atravessando galinheiro
-Mais nervoso que potro com mosca no ouvido
-Quente que nem frigideira sem cabo
-Mais sério que defunto
-Mais sujo que pau de galinheiro
-Tranqüilo que nem cozinheiro de hospício
-Tranqüilo que nem água de poço
-Bobagem é espirrar na farofa
-Mais gorduroso que telefone de açougueiro
-Mais perdido que cebola em salada de frutas
-Mais feliz que gordo de camiseta nova
-Mais chato que chinelo de gordo
Obs.: Não perguntem de onde tirei isso, porque:
-Quem revela a fonte é água mineral!!!
...

O aumento do déficit americano

Q. How has the debt risen this high, and how much are we paying in interest as a nation?
A. The United States has not always operated with such a large debt. After financing World War II with substantial borrowing, the outstanding debt held pretty stable for the next 25 years, going up to $283 billion in 1970 from $242 billion in 1946. But over the last 30 years, the overall debt has increased under every president — with the biggest increase under President George W. Bush, who cut taxes, added a drug benefit to Medicare and fought two wars. As the debt has grown, so have the country’s interest payments. In 2003, for instance, the government paid about $150 billion in interest costs; this year it is estimated to be upward of $200 billion. These interest payments are taking up more federal spending now than federal outlays on education, transportation and housing and urban development combined. Though the interest costs are substantial, they have remained lower than some economists predicted because the world has continued to lend money to the United States at very low interest rates, even as the nation’s debt has grown.
Q. and A. on the U.S. Debt Ceiling - NYTimes.com

...

sexta-feira, julho 29, 2011

Investimentos na conta petróleo do Brasil

Companhias estrangeiras estão se aprontando para investir no mercado brasileiro de petróleo e a maioria é asiática. A questão aí é a capitalização da principal produtora, a Petrobras já que essa participação será acionária e, não na forma de empresas concorrendo e reduzindo os preços:


Cf.: Galp Raises 2020 Production Target After ‘Exceptional’ Progress in Brazil - Bloomberg

...

Pobres têm dieta restrita, mas com melhor valor nutricional

Pobre come melhor. Sim, é isso mesmo:

Pobres têm dieta restrita, mas com melhor valor nutricional, diz IBGE | brasil.americaeconomia.com

...

Crise da dívida dos EUA ameaça reservas da América Latina


A Cepal ressalta que os EUA são o principal sócio econômico da região e sua importância é ainda maior para o México e países da América Central e Caribe. "Uma porcentagem muito significativa dos fluxos financeiros e de investimento vem dos EUA. A maior parte das remessas que aliviam a situação de muitos lares pobres de nossa região é resultado do trabalho de latino-americanos e caribenhos na economia norte-americana", detalhou.


Para nós, talvez menos, mas mesmo assim sofreremos e, na melhor das hipóteses, passaremos por algum pequeno ciclo de "substituição de importações" que não será completo, evidentemente, pela falta de tecnologia autóctone. Tomara que alguma lucidez aqui possa induzir a entrada de mais empresas estrangeiras com benefícios fiscais para aliviar nossa defasagem em alguns setores. 

...

quarta-feira, julho 27, 2011

Alma perdida, mídia entretida


Neste artigo, Janer Cristaldo critica o apreço dado à Amy Winehouse pela nossa mídia, inclusive com mais destaque do que o saldo trágico do terrorismo norueguês neste fim de semana. Com exceção da necessária vinculação ao rock para se drogar (que não se trata do estilo musical da Winehouse, diga-se de passagem), o artigo do Janer é irretocável. Ele peca no que ignora, estilos musicais etc., mas sua crítica a este fuxico todo está certa. Falta do que falar ou como falar, nosso jornalismo está extremamente diluído em firulas sem grande significado.

terça-feira, julho 26, 2011

Mídia Sem Máscara uma ova! É um caso de Mídia Sem Cérebro!


Não espero mais nada de aproveitável deste site mesmo...

(...) Breivik escreve em seu manifesto que ele não é religioso, tem dúvidas acerca da existência de Deus, não ora, mas afirma a supremacia da "cultura cristã" da Europa bem como sua própria cultura nórdica pagã.
Por outro lado, Breivik louva Charles Darwin, cujas teorias da evolução se opõem às afirmações da Bíblia, e afirma: "Quanto à Igreja e à ciência, é essencial que a ciência tenha uma prioridade indiscutível sobre os ensinos da Bíblia. A Europa sempre foi o berço da ciência, e deve sempre prosseguir desse jeito. Com relação ao meu relacionamento pessoal com Deus, imagino que não sou um homem excessivamente religioso. Sou em primeiro lugar um homem de lógica. Contudo, apoio uma Europa cristã monocultural".

Ou seja, para os patetas do Mídia Sem Máscara (MSM), o terrorismo precisa ter guarida ideológica, não se tratando de um ato essencialmente insano que ultrapassa todo e qualquer projeto político. Ora, se é político pressupõe uma forma de regularização dos conflitos sociais, não se pautando na mais pura barbárie, como foi o caso do atentado na Noruega. Eu posso discordar, p.ex., da maior parte dos caracteres políticos e sociais do chamado Islã, mas não vou negar que internamente, ele apresenta uma estrutura lógica própria. O que o norueguês Breivik fez foi negar o sistema social e político de seu país para seguir um atalho que criou para si. Dizer, como quer a esquerda, que ele era "um fanático religioso de direita" é tão descabido, já o disse aqui, quanto dizer que "todo muçulmano é por definição um adepto ou apoiador do terrorismo". Como se não bastassem essas duas visões complementarmente torpes, agora vem o MSM, site patologicamente paranóide dizer que isto se deve ao paganismo e ao darwinismo!

Aliás, MSM que traduziu um artigo de outro pasquim tendencioso até a medula, o World Net Daily (WND). Isto eles chamam de media watch, uma vigília sobre a mídia que, no caso, não passa de uma mentira alternativa. Cristão, direita, sionista, pagão, darwinista etc. Do que vão acusá-lo para entender que se trata de um doente psicopata sem remorso nenhum para o qual qualquer crença bastaria como justificativa para matar?
...           

segunda-feira, julho 25, 2011

Simulador do Imposto


...

Av. Paulista


São fotos da Avenida Paulista e arredores, uma estética bem Ayn Rand ou, pelo menos, inspirada em obras como A Nascente, livro que ainda tecerei uma crítica junto com a trilogia A Revolta de Atlas. Bem... Espero que desfrutem desses belos e imponentes resultados do engenho humano na locomotiva do Brasil.







Ato falho: os livros que citei é que se inspiraram neste tipo de estética...

Funcionalidade entre psicose e ideologia


Segundo [Breivik], por causa da "revolução marxista brasileira", o Brasil teria se tornado uma mistura de raças o que se mostrou uma "catástrofe" para o país que é "de segundo mundo" com um baixo nível de coesão social. Os resultados seriam os altos níveis de corrupção, baixa produtividade e conflitos entre as diferentes culturas. Breivik ainda classificou o Brasil como um país "disfuncional".

É exatamente o contrário, justamente por nossa mistura de raças, o Brasil com todos seus problemas, não apresenta este tipo de conflito, racial, étnico etc. Neste quesito senhores, temos 'tecnologia' para dar e vender, coisa que mesmo para um país com o IDH de uma Noruega parece distante. Aqui, muçulmanos não são proselitistas como em outros pagos, nem outras religiões ameaçam colocar suas patas muito além de seus templos, exceto se for para ingressarem como quaisquer outras forças políticas no meio do qual se locupletam e alçam maiores níveis de capitalização, o Congresso Nacional.

Mas, se há alguma funcionalidade nisto tudo está na simbiose entre psicose e ideologia da cabeça do doente mental Breivik.
...

A ficção vingou : Coluna | Baguete


Confira este excelente texto do Janer sobre o 'gauchismo', uma ficção -- cantilena de publicitário -- plantada no RS, acatada nacionalmente e que chega a tomar ares ideológicos entre seus pares:

...

Deep Purple - "Wring That Neck" (Live at the Bilzen Jazz Festival 1969)


Fantástico Purple! Aqui com seu jazzão Wring That Neck, para deixar muito jazzista que desdenha de roqueiros no chinelo...


...

Folha.com - Cotidiano - Igreja do interior de SP anuncia rifa de Fusca lotado de cerveja - 22/01/2011


Ué?! Um dos primeiros milagres de Cristo não foi transformar a água em vinho???



Folha.com - Cotidiano - Igreja do interior de SP anuncia rifa de Fusca lotado de cerveja - 22/01/2011
...

domingo, julho 24, 2011

Pirataria rola solta na China

Desse jeito não vejo porque temer tanto assim a ascensão da China como "potência global"... Se continuarem assim, não vão passar de repassadores baratos de tecnologia alheia mesmo:


China Officials Find 5 Fake Apple Stores in 1 City - FoxNews.com

...

"Tecnologia digerida", pechada garantida



Pressa na implantação, falhas administrativas/disciplinares, falta de planejamento regional, quebra de patentes, entre outros têm provocado acidentes e panes no sistema de transporte do trem rápido chinês.

Cf.: Crash threatens China’s high-speed ambitions - FT.com

...

Falsa consciência como modelo público[i]



O que tira marginais , bandidos , pobres dos parques não é polícia ,e sim educação , cultura , esporte . Vivi por dois anos em frente a uma praça na rua dos Andradas , em Porto Alegre , e o que via era a polícia sendo conivente com atos criminosos , fazendo vista grossa ao consumo e tráfico de drogas . Pude acompanhar de perto dia após dia a trasformação dos meus vizinhos ,de pessoas normais de classe média , a zoombies escravos do crack e praticantes de pequenos furtos. 
Se cerca uma praça , o povo migra pra outra , se cerca todas migram para um viaduto, uma várzea...enfim , o que temos que cercar é o tempo livre dessa gente , mudar sua forma de viver. 
Onde vivo , hoje, o índice de desemprego ja está superando os 20 % , e como ainda não se tem uma perspectiva de quando isso vá mudar , o governo passou a investir na criação de grandes espaços desportivos públicos com professores voluntários de todo o tipo de esporte .
O que precisamos é de um programa social que estimule o povo a crescer culturalmente , pois já não temos mais prisões o suficiente para formar jovens vagabundos e desocupados em traficantes,assassinos , estupradores , criminosos profissionais.

Desnecessário dizer o quanto discordo desse tipo de visão, mas é igualmente necessário dizer como eu discordo dessa visão. Imaginemos um lugar com mais de 20% de desempregados como alegado no comentário acima... Isto tem nome, se chama guerra civil. Fale sério, onde quer que ocorra algo próximo disto, a situação está insustentável. Muito se fala do desemprego de mais de 25% da Espanha, uma das mais prósperas economias da União Européia, mas isto tem que ser devidamente explicado, pois duvido que se trate de uma metodologia flexível, ainda mais nesses tempos de globalização, quando o que conta é o trabalho e não o emprego formal tal como preconizado pelos sindicatos. Se fosse assim, o Brasil também teria tido um índice alarmante do desemprego quando o PT era oposição, quando tudo que esse partido fazia era se utilizar do índice conservador do DIEESE, ao passo que agora no governo faz o contrário utilizando o índice flexível do IBGE. Então, se alguém vier falando em “alto desemprego” lhe pergunte qual a metodologia? A amostra? O período observado etc.? E lhe quebre as pernas desta argumentação alarmista com fins políticos e premissas ideológicas.
http://zecarlosdopv.blogspot.com/2009/10/pracas-cercadas-pracas-protegidas.html
Favelados se encontram em praças? A maioria não porque isto não permite que tenham uma morada. Quando ficam, é transitório. Já, moradores de rua crônicos têm outro perfil, não buscam construir um lar ou constituir uma família. Nesta situação, genérica, não há como investir em “programas sociais” quando os principais atrativos são o álcool ou o crack. Parte-se equivocadamente desta premissa, que um programa fará com que milagrosamente se instaure uma consciência individual e, pior, em passe mágico, uma série delas em vários indivíduos que apresentam um quadro semelhante. Ora, isto é desdenhar do indivíduo achando-o incapaz de decidir por si só, ainda mais quando a maioria dos moradores deliberadamente escolheu sua vida. Se querem mesmo diminuir isto, tal (sub)cultura precisa ser modificada, a questão é como?
Prevenir a formação da marginalidade é uma meta desejável, mas toda sociedade, qualquer que seja apresenta a sua, seja a brasileira, a espanhola, a americana, a norueguesa ou a nigeriana. Uma parte foge do controle... Ou pretenso controle social. Uma parte acaba mesmo como um grupo pária da sociedade e, neste caso, quando acaba o combustível preventivo, a repressão deve existir. A palavra repressão tem que ser dês-demonizada. Deve-se reprimir claramente o que é ruim para a maioria e, inclusive, para quem perpetra o malefício. Reprimir não significa, no entanto, suprimir a existência individual, mas evitar o comportamento degradante e poluidor que prejudica esses indivíduos.
Rua dos Andradas... Mais conhecida como “Rua da Praia” em Porto Alegre que, em meus áureos tempos até os anos 80, antes do PT colocar suas patas na capital gaúcha era um verdadeiro shopping a céu aberto. Hoje mais parece um mercado das pulgas infecto. O que permitiu isto, além da falta de eficiência e seriedade institucional como apontado no comentário foi a disseminação da criminalidade correlata e sucessiva às sucessivas gestões petistas na capital em que a estupidez citadina teimou em assegurar. Cada sociedade tem o governo que merece.
Cercar praças é uma medida temporária, assim espero, para que não sejam destroçadas por quem ignora o direito ao usufruto alheio se apossando do pequeno espaço público. É instrutivo e educacional quando se tem em mente que aquele espaço não deve pertencer a poucos, mas a todos, pobres, ricos ou remediados. E se trata de repressão sim senhor porque nem tudo é sanado por “programas sociais educativos”, ainda mais o crime que deve ser coibido com tolerância zero. E como se quem tem o prazer de depredar ou chocar tivesse alguma consideração para com quem quer lhe ajudar... Também não é por um diferencial de renda que se deteriora o patrimônio. Crimes de motivação econômica devido a penúria levam ao roubo, não ao uso de drogas em um espaço que permite o lazer, a criatividade e o respeito mútuo.
...

O polvo no imaginário cartográfico


Recentemente levei uns convidados meus a São Paulo a visitarem o Restaurante Acrópoles, tradicional da cozinha grega e, inicialmente, não fui muito feliz com meu intento ao receberem como antepasto uma porção de polvo e outros quitutes muito bem temperados.
- Não deu pra comer, polvo, aquele bicho é muito feio, nojento...
Além da figura de molusco, o polvo, não tem muito que se assemelhe a nós mesmo, com seus vários pés e acumulando jatos de tinta contra seus inimigos rastejando na superfície do fundo do mar. Mas, se fecharmos os olhos podemos ver seu sabor e quem sabe apreciar algo que nos foge por completo dos sabores do dia a dia.
Acho que a idéia de uma figura exótica e amedrontadora diz mais sobre nossa visão de mundo que muitas teorias supostamente bem elaboradas sobre a sociedade, o mundo, o comércio internacional etc. A figura do polvo como portador de um grande cérebro dado pela sua cabeça desproporcionalmente gigante e vários tentáculos a manipular os meros mortais é recorrente em nossa história mundial. Qualquer que seja o alvo inimigo, o capitalismo, o comunismo, o nazismo, as finanças globais etc., é recorrente sua representação na forma deste animal. Neste site temos um excelente post sobre o assunto: 521 - Cartography’s Favourite Map Monster: the Land Octopus | Strange Maps | Big Think.
Mas, o que subjaz a esta figura?
A ideia de que processos complexos como a instauração de um regime comunista ou, mais ainda, o desenvolvimento da economia capitalista sejam conseqüência de um plano bem pensado e articulado previamente. Isto é que é de dar dó... O que pouco condiz com a realidade, uma vez que a ação social poucas vezes se configura como foi originalmente pensada e idealizada.
Como diz o post acima:

I suspect it’s those tentacles that explain why the octopus became cartography’s favourite land monster. They turn the CLO into a perfect emblem of evil spreading across a map: its ugly head is the centre of a malevolent intelligence, which is manipulating its obscene appendages to bring death and destruction to its surroundings. This is perfect for demonstrating the geographic reach of an enemy state’s destructive potential. It can even be used on a more abstract level, showing dangerous ideologies insipidly infiltrating and/or strangling the world. 


(...)

Dependência mútua



Há uma lógica na dependência mútua entre China e EUA, respectivamente, com o maior e o menor saldo em conta corrente. Os EUA são o destino certo para os recursos que têm sobrado na economia chinesa:


...

O difícil é carregar a pazinha...


...

Nibiru, a bola da vez para o fim de todos nós

O negócio é o seguinte, não há como contestar toda nova carga de teoria conspiratória, teoria sobre o fim do mundo com tons apocalípticos que mistura religião com pseudociência e medo disseminado no imaginário coletivo. Por mais que se tente, o trabalho científico, investigativo é de formiguinha... Devagar, consciencioso de que há opiniões e hipóteses diversas a se levar em consideração e de que conclusões, por melhor fundamentadas que sejam, podem ser refeitas. Então, agora é a vez do Planeta Nibiru atingir a Terra e destruí-la, já que a Profecia Maia foi desmascarada como "prova" do fim do mundo em 2012.

Portanto, se você contestá-los por falta de base, dados ou coerência de suas profecias, mais do que depressa, os catastrofistas de plantão já arrumarão outra paranoia para todos nós.


Cf.: Believers in Mysterious Planet Nibiru, Comet Elenin Await Earth's End - FoxNews.com

...

Opinião do PSTU sobre o PT é tão ilusória quanto seu alvo de crítica



Até ex-companheiros do PT já reconhecem o novo caráter do partido:


No entanto, como tudo que sai da boca do PSTU, não poderia deixar de ser mais mistificador:


A trágica trajetória do PT confirma que a corrupção não se resume a um problema ético pessoal de um ou outro político, mas é um elemento indissociável do capitalismo, da democracia burguesa e de suas instituições.

Mas, exigir consciência e compreensão de marxistas já é demais...

----

Equívoco de análise: a partidarização ideológica do terrorismo


(...)
Desde então, grupos de extremistas de direita noruegueses parecem ter criado laços com a comunidade de criminosos, assim como grupos similares no exterior, na Europa, Rússia e EUA.A Suécia, ao contrário, viu uma grande diminuição da atividade extremista desde seu auge em meados dos anos 90, quando seus jornais publicaram fotos de todos os neonazistas conhecidos do país.Mas, ao mesmo tempo, a Expo relata como a repulsa mostrada pelos suecos nos anos 90 vem se transformando cada vez mais em curiosidade sobre a suavizada retórica da extrema direita.Sentimentos parecidos tem aflorado na Noruega, onde políticos discutem abertamente preocupações sobre como a cultura do país seria diluída pela imigração vinda de países com valores e religiões diferentes.Mas após os ataques em Oslo e Utoeya, será interessante observar se muitos no país vão desenvolver uma visão mais sofisticada a respeito de onde vêm as maiores ameaças, em meio ao entendimento de que o extremismo pode ser mortal, independente de nacionalidade, etnia ou religião.
Cf.: BBC Brasil - Notícias - Análise: a ameaça da direita extremista na Noruega

Anders Behring Breivik é
considerado um simpatizante da extrema direita
Terrorista é terrorista, todos devem ser punidos e encarcerados pelo resto da vida (no mínimo). Não há predileção de direita ou esquerda com a violência, são apenas criminosos da pior espécie. Politizar esta barbárie é o caminho para dividir a humanidade insanamente e não nos unificar contra a violência. O argumento da matéria acima é o mesmo dos que acusam o terrorismo como tendo pedigree islâmico. Sofisma.

A questão é por que os jornalistas associam, sem nenhum pudor, este ato terrorista à direita, mas quando se trata de outros, como o de Battisti ou de forças árabes claramente anti-capitalistas, não se trata de "esquerda"? Seria porque entendem que "a esquerda mudou", mas não encaram o mesmo fato para a direita?

Isto não é jornalismo e sim propaganda ideológica que permeia fatos levantados pela mídia. Cuidado ao lê-los para não comprar gato por lebre.
...

Por que "moreno" seria menos válido que "negro"?




Não seria o contrário? A maioria da população opta pelo termo 'moreno' porque realmente se vê assim, já que a categoria 'negro' induz a uma ideia de "pureza racial" que não corresponde a nossa real situação, assim como a própria ideia de 'pureza', ideológica em sua essência.

...

quarta-feira, julho 20, 2011

Irish Coffee - Hear Me


...

E a segurança pública no governo petista, tudo bem?

Tudo passa, ninguém comenta...

Pois é, nada como um dia depois do outro.

O pior salário da categoria no Brasil! Policiais invadem o Palácio Piratini e exigem audiência com Tarso Genro:


http://t.co/KuoAtQj 


...

Isaac Asimov




Vasculhe cada exemplar da pseudociência e você encontrará um cobertorzinho de estimação, um dedo para chupar, uma saia para segurar.

Isaac Asimov
... 

E todo comediante sem graça deveria tomar onde?


"Toda mulher que eu vejo na rua reclamando que foi estuprada é feia pra c. (... ) Tá reclamando do quê? Deveria dar graças a Deus. Isso pra você não foi um crime, e sim uma oportunidade."




Ok, então tu merece um processo pelo péssimo repertório piadista. Talvez o processo do qual é acusado seja descabido, não sei... Mas, se tivéssemos público com um mínimo de bom senso, a audiência de onde ele se apresente devesse cair. Mesmo que isto signifique sacrificar o conjunto do programa e canal de veiculação que participa. Sabe... Não é preciso ter mãe, irmã, mulher ou filha para saber que o 'comediante' superou a falta de equilíbrio sacramentando a canalhice total.

Acho que não deveria ser proibido de dizer as sandices que disse, apesar de completamente estúpido, porque esse tipo de cultura tem é que ser combatido em seu próprio âmbito, o da moral e da cultura. Este é o caso de um dos melhores filmes que vi a respeito, um verdadeiro thriller de ação e suspense em que saímos de alma lavada: I spit on your grave ("Doce Vingança") de 2010, sob direção de Steven R. Monroe é o caso. Sarah Butler interpreta uma jovem escritora que vai buscar inspiração em uma cabana retirada na área de rednecks, "lixo branco" como também são conhecidos nos EUA. Pelas figuras abaixo dá pra imaginar como ela se vinga daqueles que passam de 'piadas' a la Rafinha para algo mais...






...

Partidário eu? 'Magina...

A continuação do post após o intervalo é importante porque inclui uma grande errata que me foi favorecida por um colega. Se lerem a primeira parte, não deixe de continuar a explicação.

a.h
...

Este é o ponto: os republicanos que tinham dúvidas sobre o abraço do fanatismo dos cortes fiscais poderiam ter assumido uma posição forte se houvesse algum indício de que esse fanatismo tinha um preço, se pessoas de fora estivessem dispostas a condenar os que assumiram posições irresponsáveis.
Mas não houve esse preço. Bush esbanjou o superávit dos últimos anos de Clinton, mas gurus proeminentes fingem que os dois partidos dividem a culpa por nossos problemas de dívida. O deputado Paul Ryan, presidente da Comissão de Orçamento da Câmara, propôs um suposto plano de redução do déficit que incluía enormes cortes fiscais para as corporações e os ricos, e então recebeu um prêmio por responsabilidade fiscal.
Assim, não houve pressão sobre os republicanos para demonstrar qualquer tipo de responsabilidade, ou mesmo racionalidade - e certamente a coisa foi para o buraco. Se você está surpreso, quer dizer que fazia parte do problema.
Em Crise da dívida dos Estados Unidos é o apogeu de um processo de décadas, 
por Paul Krugman


Não concordo com esse sujeito não. Primeiro, sim, ele está certo, o GOP (Great Old Party, apelido do Partido Republicano) se comporta como o PT, quando na oposição faz tudo para derrubar o oponente, mas depois que chega no poder adota políticas parecidas. Mas, minha concordância pára por aí... Como ele mesmo diz, Reagan e Bush não só reduziram gastos, eles também aumentaram receitas, i.e., impostos. Então, como que ele afirma que os adeptos do GOP sempre mantiveram o fanatismo. Quem é o fanático de fazer uma afirmação que contradiz parte do que afirma é ele mesmo. Outro detalhe não mencionado, embora os últimos governos republicanos tenham se caracterizado por maiores gastos indevidos, digamos assim, com guerras, ao longo da história foi o contrário, foram os governos democratas que mais provocaram intervenções externas, como é um exemplo claro a Guerra do Vietnã. Então, por isso e outras questões -- como o aumento de gastos públicos a partir do governo Roosevelt, democrata --, os dois partidos têm sim grande responsabilidade na atual crise e não só o GOP, como quer o partidário e pouco objetivo Paul Krugman.



...




Acho que errei feio neste post. Aqui vão os comentários de meu amigo, Fernando Raphael Ferro:



terça-feira, julho 19, 2011

Jornalismo chinfrim não entende significado de demanda popular[*]




Segundo o Dicio.com, a definição de cerco é “caçadores em círculo para pegar a caça. Operação militar em torno de uma cidade, de uma posição inimiga; sítio. Operação policial para controlar uma zona, para perseguição a criminosos”. Vale lembrar ainda que os chamados cercamentos (enclosures, em inglês), foram a forma de acabar com o entendimento da terra como bem comum (como era no modo de produção pré-capitalista) na Inglaterra. Com a transição para o modo de produção capitalista, a terra passou a ser encarada como um bem de produção, e os senhores feudais ingleses passaram a cercar as suas terras, arrendando-as como pastagens para a criação de ovelhas, e delas expulsando os camponeses. Esse cercamento como exclusão e aquele cercamento como controle e perseguição do inimigo – nesse caso, a pobreza – são os cercamentos defendidos por Zero Hora para os espaços públicos de Porto Alegre, incluindo-se aí os parques.


Tolice, tem mais é que cercar mesmo. Se o que está causando incômodo é o crime, por que manter algum receio de dizer em alto e bom som que o que se quer é cercar a criminalidade? É disto que se trata.

E óbvio, a comparação com os cercamentos britânicos foi forçada, pois não se trata aqui de assegurar a passagem de um sistema econômico ao outro, mas de manter a ordem e a paz social nas nossas cidades.

...
[*] Continua em Falsa consciência como modelo público.

Livre arbítrio vs. Nacionalismo


Veja em Ooh! Do It Again!: Randy Cassingham's Blog, a discussão do articulista com alguns leitores que o criticam por destinar parte de sua renda às vítimas do maremoto no Japão ao argumentar que melhor seria fazê-lo às áreas atingidas pelas inundações no Mississipi.

Obviamente que acho que nesses casos, um sentimento maior e correto suplanta qualquer outro de apego ou preferência pela sua terra.

...

segunda-feira, julho 18, 2011

Voltaire


Sou uma parte insignificante do grande todo.É verdade; mas todos os animais condenados a viver,Todas as criaturas sensíveis, nascidas sob a mesma severa lei,Sofrem como eu e como eu também vem a morrer.
O abutre agarra-se a sua tímida presaE fere com o bico sanguinário os membros trêmulos;Tudo vai bem, assim parece, para ele. Mas pouco depoisUma águia despedaça com suas garras o abutre;A águia é trespassada pela seta do homem;O homem, prostrado no pó dos campos de batalha,Misturando na agonia o sangue ao dos semelhantes,Passa a ser por sua vez alimento das aves famintas.
E assim o mundo inteiro geme em cada um dos membros:Todos nascidos para o sofrimento e a morte mútua.
E com relação a este caos terrível direisOs males de cada um fazem o bem de todos!Que bem-aventurança! E quando, com voz trêmula,Mortal e lastimosa proclamais: “Tudo vai bem,”O universo vos desmente e vosso coraçãoContradiz cem vezes o conceito de vossa mente.
Qual é o veredicto da Mente Suprema?Silencio: O livro do destino está fechado para nós.
O homem é um desconhecido para si próprio;Não sabe de onde vem e nem para onde vai.
Átomos atormentados num leito de lamaDevorados pela morte, um escárnio do destino;Mas átomos pensantes, cujos olhos de ampla visão,Guiados pelo raciocínio, estudaram as estrelas,Nosso ser confunde-se com o infinito;A nós mesmos nunca chegamos a ver ou conhecer.
Este mundo, este palco de orgulho e de erros,Está apinhado de tolos que falam e felicidade....
Houve tempos em que cantei, em tom menos lúgubre,As alegrias do império jovial dos prazeres;Os tempos mudaram e, com a experiência da idade,Participando da fragilidade do gênero humano,Procurando uma luz por entre a escuridão crescente,Posso apenas sofrer, porem, não me lamentarei.

Voltaire

...

domingo, julho 17, 2011

Justaposição


Em Juxtaposing Self-Interest and the Common Good » Sociological Images, vemos a ideia do "egoísmo racional" de Ayn Rand ser posta abaixo. Derrubada por um simples cartaz promocional de metrô. O chamado egoísmo racional não passa de uma ideia primária, fraca filosoficamente falando, de que todos seres humanos são livres se totalmente egoístas esquecendo que parte da própria liberdade individual ser ou não solidário.

...

terça-feira, julho 05, 2011

Brasil, país de todos - 1


Brasil deu US$ 1,7 milhão para militares paraguaios http://bit.ly/q2HNhZ
  
País de todos mesmo, até dos paraguaios.

...

Argumentando picado


Lei e Religião. Ainda sobre a oposição Direita/Esquerda no contexto americano, eu também votaria na esquerda americana em certos casos. Mas, quanto a Lei derivar da Religião, em certos casos não só acho compreensível, como também acho correto. Uma Lei não funciona quando não existe o Costume já estabelecido. Bem... Pode até 'funcionar', mas daquele jeito que bem conhecemos, intermitentemente ou na porrada. Veja nosso caso, o do aborto, onde já ocorrem, se não me engano, 2 milhões por ano no país. Adianta dizer não? Não, mas também não acho que o estado tenha que financiar aborto a torto e direito sem cobrar nada ou regular a promiscuidade.
Aborto e Regulação. Certas ações estatais não são para impedir o movimento em direção a algo, mas para restringi-lo, diminuir seus efeitos maléficos. Aborto então existe sim e ponto, mas vamos limitá-lo de algum modo para que não se crie um incentivo que retroalimente essa pouca vergonha. Neste sentido, embora eu seja mal visto pelos religiosos, acho que têm que ser ouvidos também. Algo como ajustar o equalizador, não os deixando no mudo total. 
Guerra e Razão. Acho também que investir em armamento para usar em guerrinhas se torna pouco eficiente para o próprio domínio, mas os gastos com tecnologia de defesa, aeronáutica, bombas, monitoramento, anfíbios etc. se faz necessário sim. Se não for assim, Pequim já teria esmagado Taiwan; Pyongyang já teria queimado parte do Japão; e, Moscou já teria fechado Ormuz. Acho que se vivêssemos num mundo onde todos parassem ao mesmo tempo, em convenção, tudo bem. Mas, como um quer terminar a peça solando, não dá. Por contraposição, para não entrar de sola então, tem que mostrar as ferraduras brilhando pros caras. Vem que te dou nos cornos... Daí eles passam a respeitar. O erro (e aí acho que muitos concordam comigo) é quando o bagual já sai dando coice, o que alguns, de modo mais elegante, chamam de "guerra preventiva".

É isto, boa noite.
a.h
...

Rush - yyz


...

Liberdade econômica e expectativa de vida


         A liberdade econômica não só é o melhor passo para a prosperidade, como também para uma vida mais longa.

...

domingo, julho 03, 2011

Uma carta surreal


         Nesta matéria, a Carta Capital faz o mais do mesmo, confunde tudo para eleger um culpado único. Da aprovação do novo Código Florestal brasileiro a ação da FAO e seu comprometimento de acabar com a fome na África, até a crítica aos Organismos Geneticamente Modificados (OGMs), tudo parece ser um conjunto de conseqüências que deriva da falta de vontade política.

interceptor: National Geographic Brasil entrevista Bertha Becker


Bravo! Até que enfim alguém diz algo sensato sobre aquela imensidão. Sem grandes investimentos voltados ao comércio com base tecnológica aquela região não encontrará o nexo entre desenvolvimento econômico e equilíbrio ambiental. Por isso mesmo. ficar louvando agricultura de subsistência ou nomadismo não passa de comodismo para aqueles que na distância de seu conforto urbano se dizem defender a região.

National Geographic Brasil entrevista Bertha Becker


Até que enfim alguém que diz algo sensato sobre aquela imensidão! Sem me alongar demais, muito do que esta senhora diz, nós concordamos com certeza. Além do que já achava óbvio -- a necessidade de mega-investimentos na Amazônia e o foco na tecnologia de ponta para geração de empregos ao invés daquele negócio de ficar apostando em culturas de subsistência --, ela chama atenção para algo que me passou desapercebido, a necessidade de uma boa estrutura administrativa e comercial com base nos pequenos e médios municípios. Isto não deve ser estranho para aqueles que labutam com a economia, mas justamente por teorizarmos tanto sobre temas distantes que envolvem a relação cultura-natureza, este dado costuma escapar. Recomento pois sua leitura, bastante elucidativa:


Amazônia - Revista National Geographic Brasil
...