Não Culpe o Capitalismo



Pessoal, eu,

Anselmo Heidrich, o Fernando Raphael Ferro de Lima e o Luis Lopes Diniz Filho,

administradores dos blogs


respectivamente, acabamos de lançar um libelo da GEOGRAFIA ANTI-MARXISTA, o 1º do país!

Prestigiem...

Compre o livro NÃO CULPE O CAPITALISMO nos links abaixo:




quarta-feira, agosto 22, 2012

Aumento do Efeito Bulhufas esfria o entendimento humano / The increase of the bullshit effect cools the human understanding

Cf.: ÉPOCA – Blog do Planeta | O meio ambiente que você faz » “Só o efeito estufa pode explicar o derretimento do Ártico” » Arquivo
Êêêhh! Fazia tempo que eu não via uma matéria defendendo a teoria do Aquecimento Global Antropogênico (A.G.A.). Ano passado, p.ex., se difundiram estudos dizendo que ele estava praticamente morto porque não houve verão rigoroso no Hemisfério Norte nos últimos anos. Mas, neste ano... Agora que o verão está abrasador por aquelas bandas (e aqui no H. Sul não está forte o inverno), o AGA volta a cena. Bem... A impressão que deu foi que quem escreveu a matéria/entrevista não foi a mesma pessoa que fez o título da matéria. Apesar de bem explicado no corpo do texto, o título é sumamente incorreto: "Só o efeito estufa pode explicar o derretimento do Ártico". Errado porque sem Efeito Estufa (Greenhouse Efect) nós não teríamos vida na Terra. A retenção de calor é necessária à vida e é feita pelos chamados gases-estufa, bem como pelo vapor d'água que armazena parte da radiação refletida aquecendo nossa atmosfera. Portanto, o certo a dizer é que o Aquecimento Global está mudando o clima do planeta (exatamente como, poucos sabem dizer), mas que também é possível que este aquecimento tenha origem antropogênica, isto é, humana. Possível, não certeiro e exato. Outro modo de escrever o título correto seria o Aumento do Efeito Estufa, como sinônimo de aquecimento global. Mas, efeito estufa é natural e sempre precisa existir, já aquecimento global (assim como resfriamento) também são naturais. O que se questiona é qual o grau de participação da humanidade nisto tudo e aí a coisa varia muito. Basicamente, poucos sabem dizer e há teorias para todos os gostos. 

Esta é a discussão que importa, mas não é a discussão que a maioria faz. A discussão que a maioria faz não é climatológica, mas sim sociológica. 
Quando isto começou a ser divulgado, pessoas que se identificavam com a chamada direita diziam que todo este alarde não passava de alarmismo sensacionalista de ambientalistas, que eram comunistas ou similares reciclados com roupagem ecológica. Em suma, acusava a esquerda de conspirar. Passados alguns anos e os estudos de dissidentes terem reflexos em pesquisadores brasileiros céticos sobre o AGA e como a nova onda foi recebida por aqui, inclusive no nosso meio acadêmico? De rir... Agora os inimigos são os países ricos que querem impor uma agenda ambientalista e desindustrializante aos países pobres, isto é, agora a esquerda é que acusa a direita. E cara, creia-me, isto é que é o que conduz a maior parte da opinião pública e auto-proclamada lúcida à respeito do assunto. Não é patético? Ao invés de nos atermos ao que é feito em termos de estudos, apenas acusamos quem chegou a determinada conclusão por uma suposta filiação ideológica ou interesse escuso. 

Há, no entanto, coisa séria a ser discutida e inquirida... Por que o pesquisador entrevistado diz que ocorreu um fenômeno semelhante de redução da calota de gelo ártica por volta de 560? Ora! Das duas, uma: ou esta entrevista foi mal traduzida, ou o entrevistado se contradisse, pois nesta época não havia indústrias para gerarem gases-estufa e termos o AGA ou então, o que é mais razoável, seria um curto período de aquecimento global sim, mas natural. 

Seja o que for, o fato é que estes dois debates tinham que ficar claramente identificados e separados. Mas, se fossem, ficaria muito mais difícil definir claramente o que deve vir a ser feito posteriormente. Se eu acuso os capitalistas industriais de serem os responsáveis, eu obtenho adeptos a um plano estatizante de controle das emissões via tributação; agora, se eu identifico apenas ciclos naturais de aquecimento fica mais fácil dispensar qualquer preocupação e mantermos o ritmo de crescimento, sem propor alterações tecnológicas no consumo energético. 

Caro, o correto é mantermos o foco. Quando se discute a mudança dos padrões climáticos, isto não subscreve nenhuma ideologia e quando se propõe uma nova política econômica, esta deve ser eficaz independente de quais sejam as médias térmicas globais. O entrevistado disse mais de uma vez que certas perguntas não ensejavam considerações científicas - "Avaliar se os ganhos compensam as perdas não é uma questão científica" -, no que vou discordar. Ganhos ou perdas econômicas também podem ser cientificamente tratados, mas não pela física ou climatologia e sim pela economia.

Só me pergunto se uma série de estudos sobre adaptações econômicas à cenários de alteração climática futura terão tanto impacto presente se não forem causados por humanos? Não é por ser 'natural' que algo seja intrinsecamente bom ou tolerável. De qualquer modo precisa ser previsto para que nos adaptemos.
/

Êêêhh! It was time that I did not see an article advocating the theory of Anthropogenic Global Warming (AGA). Last year, for example, studies have spread saying he was nearly dead because there was no rigorous summer in the Northern Hemisphere in recent years. But this year ... Now that summer is scorching in those parts (and here in South H. winter is not strong), the AGA around the scene. Well .. The impression he gave was that whoever wrote the material / interview was not the same person who did the title of the article. Although well explained in the text, the title is extremely incorrect, "Only the greenhouse effect may explain the melting of the Arctic." Wrong because without Greenhouse (Greenhouse Efect) we would have no life on Earth. The heat retention is necessary for life and is done by so-called greenhouse gases, as well as the water vapor that stores part of the reflected radiation heating our atmosphere. So the right thing to say is that global warming is changing the planet's climate (just as, say few know), but it is also possible that this warming has anthropogenic origin, ie human. Possible, not accurate and exact. Another way to write the correct title would be the increase of the Greenhouse Effect, as synonymous with global warming. But global warming is natural and always must exist, since global warming (and cooling) are also natural. What is questioned is the degree of participation of humanity in all of this and then the thing varies greatly. Basically, few know how to say no and theories to all tastes.

This is the discussion that matters, but the discussion is not what the majority does. The discussion that most do not climatological, but sociological.

When this began to be publicized, people who identified with the so-called Right said that all this fuss was just scaremongering sensationalist environmentalists, who were communists or similar ecological recycled clothing. In short, accused of plotting the left. After a few years, studies have dissenting reflections on Brazilian researchers skeptical about the AGA and how the new wave was received here, including our academics? Laughing ... Now the enemies are the rich countries who want to impose an agenda environmentalist and anti-industrial poor countries, it is now accusing the Left is Right. And man, believe me, that is what is driving most of the public and self-proclaimed lucid to the subject. Is not it pathetic? Rather than restrict ourselves to what is done in terms of studies, only those who accuse certain conclusion reached by a supposed ideological affiliation or interest shady.

There are, however, serious matter to be discussed and reporting ... Why researcher interviewed says that a similar phenomenon occurred for reducing Arctic ice cap around 560? Hey! One of two things: either this interview was mistranslated, or the interviewee contradicted himself, because this time there were no industries to generate greenhouse gases and the terms or AGA, which is more reasonable, it would be a short period of global warming yes but natural.

Whatever, the fact is that these two debates had to be clearly identified and separated. But if they were, would be much more difficult to define clearly what should be done to come later. If I accuse the industrial capitalists of being responsible, I plan to get fans statist control emissions through taxation, now if only I identify natural cycles of warming becomes more easy to dismiss any concerns and keep the pace of growth, without proposing technological changes in energy consumption.

Dear, it is okay to keep the focus. When discussing the changing weather patterns, it does not subscribe to any ideology and when he proposes a new economic policy, it should be effective regardless of whatever the average global thermal. The interviewee said more than once that some questions did not produce scientific considerations - "Evaluate whether the gains outweigh the losses is not a scientific question" - in that I disagree. Economic gains or losses can also be treated scientifically, but not by physics or climatology, but by economics.

I just wonder if a series of studies on economic adaptations to future climate change scenarios will have much impact this is not caused by humans? Not because it is 'natural' that something is intrinsically good or tolerable. In any event must be provided for us to adapt.

Nenhum comentário:

Postar um comentário