Não Culpe o Capitalismo



Pessoal, eu,

Anselmo Heidrich, o Fernando Raphael Ferro de Lima e o Luis Lopes Diniz Filho,

administradores dos blogs


respectivamente, acabamos de lançar um libelo da GEOGRAFIA ANTI-MARXISTA, o 1º do país!

Prestigiem...

Compre o livro NÃO CULPE O CAPITALISMO nos links abaixo:




domingo, abril 19, 2015

Isto não tem nada a ver com doença mental


"As societies grow decadent, the language grows decadent, too. Words are used to disguise, not to illuminate, action: you liberate a city by destroying it. Words are to confuse, so that at election time people will solemnly vote against their own interests." (Gore Vidal)


REAÇÃO À IMAGENS NOJENTAS PODE REVELAR SE ALGUÉM É DE DIREITA OU ESQUERDA
Conservadores possuem mais tendência a não gostar de imagens "nojentas".
A nova pesquisa foi realizada pela Virginia Tech e os resultados passaram por um algoritmo que comparava toda a movimentação cerebral de liberais e conservadores durante as imagens mais pesadas (mutilação humana, cenas de gore -muito sangue, tripas, etc - e restos de animais).
As ondas cerebrais foram medidas através de ressonância magnética.
Os pesquisadores encontraram que as pessoas com maior sensibilidade àquelas imagens faziam parte do grupo político de conservadores com uma incrível margem de exatidão de 95%.
A pesquisa levou a questionamentos mais profundos, como, por exemplo, se essas respostas de nojo poderiam ser uma reação adversa ancestral, necessária para evitar contaminações, doenças e violência.
Outras coisas nojentas analisadas: coisas não-identificadas grudadas no cano da pia da cozinha, infestações de vermes de moscas, banheiros imundos.
As imagens que mais previam a orientação política foram as de corpos mutilados de animais.
Esquerdismo, quem diria, faz a pessoa mais complacente com barbarismos. Ou será que a pessoa nasce com a tendência?
http://revistagalileu.globo.com/…/forma-com-que-voce-reage-…http://www.sciencedaily.com/releases/2014/…/141029124502.htmhttp://research.vtc.vt.edu/…/liberal-or-conservative-brai…/https://plus.google.com/11706631533909324…/posts/9phBYRWhhuc


Hoje mesmo eu conversava com um fanático direitista que me citou o já clássico "Liberal Mind" que "prova" que o esquerdismo é uma "doença mental". Além da ignorância acerca do que seja 'doença', 'transtorno' e sua ligação com o termo 'mental', o que impressiona é a necessidade de demonstração de superioridade. Eu não gosto dessas teses coletivistas de programas sociais ou propostas que não levem o indivíduo na devida conta e, muito menos, a maneira errada de enxergar a realidade, baseada em categorias coletivas, MAS... Nem por isto preciso torcer a realidade para justificar uma suposta superioridade moral, intelectual e agora, de saúde mental! Se o esquerdismo (coisa que varia historicamente, todos sabemos) fosse mesmo uma doença, isto só o isentaria de responsabilidade, afinal "eles (os esquerdistas) não sabem o que fazem". Bastaria para tanto adotar um protocolo médico específico, psiquiátrico que estaria tudo resolvido e seria de responsabilidade pública (de saúde pública) tratar desse contingente de 'doentes', portadores de transtorno mental. Este estudo incorre na mesma falácia que seria eu argumentar que o fundamentalismo, totalitarismo islâmico para ser mais preciso é questão de doença mental. Ora, tais militantes não são descritos em nenhum CID-10, mas sim foram crianças, jovens verdadeiramente adestradas. E isto é o que mais nos choca: a possibilidade de que qualquer um de nós poderia estar lá... Atirando rojões em jornalistas, coquetéis molotov em policiais, vandalizando redações jornalísticas, invadindo e depredando fazendas, estações experimentais da Monsanto, ocupando e depredando plantações, menos pelo terra em si do que pelo desejo de violação do que é alheio, atirando em chargista, queimando pilotos jordanianos ou simplesmente profanando e quebrando esculturas sagradas de culturas anteriores à vinda do 'profeta'. Isto, por mais apavorante que seja, não é fruto de receptores neuronais com déficits em substâncias químicas necessárias ao bom funcionamento de sinapses. Na verdade, não passam de crenças em utopias daninhas cujas premissas são raízes que se nutrem da morte dos tolerantes.

Um comentário:

  1. Anônimo8:44 AM

    "Esquerdismo, quem diria, faz a pessoa mais complacente com barbarismos. Ou será que a pessoa nasce com a tendência?"

    O texto do estudo simplesmente não afirma isso, que diferentes padrões de atividade de cada região implicam maior "complacência com barbarismos" de esquerdistas. Por livre associação e interpretação como essa poderia-se com a mesma validade sugerir o contrário. Pacifismo, vegetarianismo, defesa de tratamento "humano" a animais, oposição a tortura, etc, são posições estereotipicamente esquerdistas; a cessão mais rápida de atividade nos esquerdistas pode se dever a eles sentirem maior necessidade em suprimir a emoção do estímulo, de terem menor tolerância, ativamente regulando essas partes do cérebro mais rapidamente. O estudo menciona algo relacionado, brevemente, sem no entanto traçar essa conclusão:

    "we found regions known to be involved in disgust recognition [17, 36, 37, 38] (e.g., insula, basal ganglia, and amygdala), perception of bodily signals [39] (e.g., insula), the experience of physical/social pain [40] or observing others in pain [41] (e.g., S2, insula, PAG, and thalamus), and emotion regulation [42] (e.g., DLPFC, insula, amygdala, and pre-SMA), along with regions involved in information integration [43] (e.g., thalamus and amygdala), attention [43, 44] (e.g., amygdala, IPL, FFG, STG/MTG), memory retrieval [44, 45] (e.g., hippocampus, amygdala, and IPL), and also **inhibitory control** [46] (e.g., IFG, DLPFC, and pre-SMA), perhaps to **suppress innate responses**. Although our results suggest that disgusting pictures evoke very different emotional processing in conservatives and liberals, it will take a range of targeted studies in the future to tease apart the separate contribution of each brain circuit."

    Repetindo a última frase:

    "Although our results suggest that disgusting pictures evoke very different emotional processing in conservatives and liberals, it will take a range of targeted studies in the future to tease apart the separate contribution of each brain circuit."

    O estudo ainda cita como própria limitação de não ter sido reproduzido em várias regiões.

    "How would a machine-learning model based on data collected in one region (e.g., New York) support predictions of people’s political attitudes in another region (e.g., Texas)?"

    Será que fazendeiros direitistas respondem a imagens de um matadouro de animais com a mesma repugnância que um outro direitista qualquer, e que direitistas fazendeiros e não-fazendeiros são mais parecidos em sua atividade cerebral entre si do que esquerdistas fazendeiros/açougueiros e outros esquerdistas?

    ResponderExcluir