Não Culpe o Capitalismo



Pessoal, eu,

Anselmo Heidrich, o Fernando Raphael Ferro de Lima e o Luis Lopes Diniz Filho,

administradores dos blogs


respectivamente, acabamos de lançar um libelo da GEOGRAFIA ANTI-MARXISTA, o 1º do país!

Prestigiem...

Compre o livro NÃO CULPE O CAPITALISMO nos links abaixo:




domingo, novembro 13, 2016

Trump quer imigrantes (legais)





Óbvio que Trump aprova imigrantes legais, mas até aí não tem
diferença nenhuma em relação a nenhum outro presidente de ontem e hoje. O vídeo
é um factoide de campanha. E se, o presidente que mais teria deportado
imigrantes ilegais, foi Barack Obama, então pelos próprios critérios de Trump,
Obama teria sido um bom presidente. Use a lógica...


O que está em jogo é outra coisa. Vocês já ouviram falar da
estratégia das tesouras, certo? Normalmente, ela é utilizada como explicação,
no Brasil, para definir um espectro de partidos limitados à esquerda ou
centro-esquerda, o PSDB é definido como "direita". Ora! Da mesma
forma, por que esta estratégia não estaria sendo utilizada nos Estados Unidos?!
O que mais se aproximou do liberalismo como entendemos, já era, não existe
mais. Claro que há exceções, pontos aqui e ali de um ou outro candidato, mas
(notem...) em matéria de política econômica, não vejo diferença substancial
entre o socialista Bernie Sanders que perdeu as primárias para Hillary Clinton
e o próprio Donald Trump, com seu protecionismo a la Getúlio Vargas. A
estratégia de tesouras na América limita abordagens mais ou menos
protecionistas, mas todas elas dependentes desta matriz político-econômica. É
muita pobreza intelectual.

A esquerda ganhou com esse cara, quem comemora são
direitistas que foram utilizados pelo mainstream em um tipo de estratégia
reversa. Talvez os próprios jornalistas críticos de Trump não o percebam, mas
colaboraram para sua vitória ao limitar o debate político pré-eleitoral a temas
mundanos. Uma pena, porque daí sim veríamos a diferença (se é que havia alguma)
entre Hillary e Trump.



Anselmo Heidrich

Nenhum comentário:

Postar um comentário