Não Culpe o Capitalismo



Pessoal, eu,

Anselmo Heidrich, o Fernando Raphael Ferro de Lima e o Luis Lopes Diniz Filho,

administradores dos blogs


respectivamente, acabamos de lançar um libelo da GEOGRAFIA ANTI-MARXISTA, o 1º do país!

Prestigiem...

Compre o livro NÃO CULPE O CAPITALISMO nos links abaixo:




quarta-feira, dezembro 21, 2016

Como nos autoenganamos cotidianamente: leituras sociais e políticas


Ótima matéria:
Seu cérebro prefere as notícias que lhe dão razão. Não gostou? Há provas http://brasil.elpais.com/brasil/2016/12/14/ciencia/1481728914_575054.html?id_externo_rsoc=TW_CC via @elpais_brasil

A típica visão de esquerda da doutrinação
tem a religião como fator fundamental.
Só assim fica fácil entender fenômenos de quem defende uma “luta contra os poderosos”, mas fecha os olhos ao PT e, principalmente, ao “fenômeno Lula”, um criminoso e detentor de uma injustificável fortuna bilionária que ainda é visto como o “pai dos pobres”. Ou, mais longinquamente, enquanto soviéticos atacavam as democracias, nossos militantes de esquerda atuais ainda insistem em dizer que “o comunismo nunca existiu” e propõem um projeto de “socialismo democrático”. Mesmo admitindo que para se executar o socialismo tenha que se concentrar mais o poder discricionário na economia nas mãos deste organismo, o estado. Em suma, para que defendamos o ideal comunista, grau máximo da liberdade social (para o comunista, claro), tem que se concentrar (contraditoriamente) o poder nas mãos de uma elite tecnocrata durante um estágio intermediário, o socialismo.

AGORA pense no outro lado, que não significa, exatamente, “no contrário”. No Brasil atual, se admitirmos que alguém, autointitulado “de direita” significa, entre outras coisas defender a propriedade privada, a democracia representativa e o estado de direito teríamos então, uma grande gama de direitistas nacionais. Claro que há muito mais variações nesta categorização e não há unanimidade em certos pontos, especialmente no que se refere à democracia quando se trata de libertários. Mas, admitamos então que haja algo que possa ser definido como Direita, o que faz com que vote em alguém que desafia, frontalmente, alguns de seus pontos basilares:

... O que não é, essencialmente, diferente da 
visão de direita sobre o processo de doutrinação 
ocorrido nas escolas. 
Não é que ambos estejam errados, 
mas que estão todos 
corretos em suas acusações. 
No entanto, o singular é que nenhum 
nem outro pólo percebe que 
o outro também aponta e acusa 
acertadamente. 
Enquanto esquerda e direita acusam 
a doutrinação alheia, 
não percebem a sua.
1.      Que defenda um protecionismo de mercado nacional;
2.      Que se alie a governos claramente autoritários e estados plutocráticos;
3.      Que se utilize de uma retórica trabalhista constante (workers, workers...) e lance mão de artifícios populistas, como se vestir de garçom junto aos seus empregados etc.
4.      E, o pior, que eventualmente substitua o discurso de combate ao crime e, especialmente, ao terrorismo por uma valorização do que seja o “verdadeiro cidadão nacional” etc.

Agora ponha como adendo ao ponto 1, americano; no 2, Putin; no 3, Trump na cozinha de seu restaurante; no 4, em um dos vários discursos de Donald Trump. E me diga se há alguma lógica em alguém que defende o liberalismo econômico e uma sociedade aberta apoiar a candidatura de Donald Trump? Antes que me digam que defendo Hillary Clinton respondo que não e um não definitivo, pois a geopolítica sobre sua batuta, especialmente no Oriente Médio, como uma adaptação da desastrosa campanha de George W. Bush no Iraque foi uma amplificação exponencial de suas mazelas. Cada um desses, em ações específicas carrega sua chaga política. Em defesa de Trump podemos dizer que não podemos julgá-lo pelo que ainda não fez, mas podemos julgar sim quem tapa os olhos para apenas achar um paladino, uma espécie de cruzado que com sua capa desafie o que ele enxerga como exemplo da esquerda americana, o que também é outra ilusão. Este tipo de patetice também pode ser observada quando, por exemplo, se defende os Confederados durante a Guerra de Secessão Americana simplesmente porque eles eram contra a União e a União representava um estado centralizador (federal). Ora, mas e a liberdade individual dos escravos que poderia advir com a vitória dos yankees (nortistas)? Isto não parece interessante ao paranoico, pois como estamos dizendo desde o início, se seleciona a informação mais conveniente.

Como escreveu um interlocutor:

"Eu li a matéria Anselmo.. me lembra muito a estratégia de esquerda de repetir várias vzs uma mentira, ao ponto de se tornar uma verdade... A matéria é interessante tb me deixou uma dúvida. Por exemplo: ali no contexto mostra que nosso cérebro preferem notícias que nos dê razão, msm sendo uma mentira. Porém naquela matéria acima: o porte de armas.
Muita gente apóia. E se trata de uma notícia que dá razão a pessoas que se simpatizam com o porte de armas liberado pro cidadão civil.
Porém a própria pesquisa, feita pela faculdade revela que a violência reduz em sociedades em que o porte é liberado.
Essa última tese, a dá mentira, é genérica? Serve pra qualquer contexto? Pergunto pq sei tb que há pessoas que não apóiam o porte de armas a cidadão civil. Pois muitos alegam que não adianta ter o porte, sem ter informações e treinamento para portar."


Muito boas tuas questões, M.

Eu te diria que a vacina contra a manipulação ou tendenciosidade inconsciente, pois muitos de nós podemos ser tendenciosos (e somos) sem o saber é ler de tudo confrontando assim visões. A pesquisa de Harvard, no caso, não é uma conclusão sobre o tema, pois não há nada que se conclua sobre nada. E daí como ficamos? Não ficamos, se trata de um eterno caminho em busca da verdade. Veja isto, a Verdade, como um luz no horizonte para a qual tu sempre tem que caminhar, mas sabendo que durante o percurso encontrará várias falsas luzes.

Vejo da seguinte forma: durante o início do estabelecimento do pensamento científico que conhecemos hoje, o positivismo era senso comum que as teses tinham que ser validadas (diferentemente da metafísica) e, portanto, provadas. Mas, como sabemos, nem toda boa ideia é passível de ser provada. Trocando em miúdos, não temos prova sobre tudo, nem mesmo sobre aquilo que embasa muitas de nossas ações. Então, como fazemos?

Popper, que é um de meus filósofos preferidos foi quem mais defendeu a ideia de que não se trata de provar, mas de refutar. Como assim? Tu tem uma ideia... Chamemos de hipótese, que é uma ideia que pode ser testada sobre algum tema ou questão. Então, tu tem uma ideia/hipótese sobre algo e mantém tua crença, firmemente, nesta explicação (a ideia, a hipótese) e ela será válida até que... Outra se apresente e se mostre melhor, isto é, superior. Então, no pensamento científico atual, as ideias se mantém verdadeiras até que outra, em competição se mostre mais adequada. Veja bem: não se trata de acreditarmos em "mentiras aceitas temporariamente", pois não houve intenção de enganar ninguém, mas sim em visões que são aceitas como parte do processo de constituição e busca da Verdade. Por isto... E ESTE É O PONTO QUE DIREITISTAS E ESQUERDISTAS DEVERIAM PRESTAR ATENÇÃO:

Mesmo que tu acredite firmemente em algo, leia o oposto, confronte com o contrário e veja as razões dele, mesmo que tu já esteja firmemente decidido a rejeitá-lo, faça, mas faça se atendo ao argumento central.

Agora eu pergunto, quantos de nós faz isto com firmeza?

Quantos dos políticos favoritos de muitos conservadores aqui faz isto ao invés de dizer que seu opositor é um "viado" só porque o cara é ex-BBB?

Quantos dos filósofos tidos como referência para muitos aqui faz isto ao invés de dizer que "combustíveis fósseis não existem" só porque sua existência contradiz a visão bíblica de formação do planeta?

E por aí vai...

Sim, o pensamento de esquerda mente desbaratadamente. Mas eu pergunto nós também não estamos criando uma mentira coletiva ao nos juntarmos só com aquilo que nos confirma o que já acreditamos?

Muitos veem a esquerda como algo demoníaco. Não, não é. É apenas o resultado de um processo social que surgiu em reação a alguma coisa tida como um problema. Ah! Mas foi uma resposta ERRADA! Sim e sabe por quê? Porque seus defensores (de esquerda) não se prestaram a ler os seus opositores.

E agora vamos fazer o mesmo jogo e migrar pro outro precipício só porque está a direita?

Recentemente li de um blog que Trump mandou um recado aos terroristas de Berlim enquanto que Obama foi jogar golfe. Muito bem, isto quer dizer que Trump é melhor do que Obama ou que soube aproveitar, politicamente, o momento? Vocês acham que estou sendo severo demais com Trump ou só estou sendo cauteloso para esperar pelo que, realmente, ele irá fazer? E para isto, só o tempo poderá dizer. Também li no site do Spotniks que o governo Obama deportou mais imigrantes ilegais no primeiro mandato que todo o governo Bush em 8 anos. Então...

Por que não temos um monte de conservadores de direita anti-imigrantes ilegais comemorando isto e elogiando Obama???

Mas...

Temos um Rodrigo Constantino apontando só a hipocrisia da esquerda em não admiti-lo??? (cf. http://rodrigoconstantino.com/artigos/obama-o-terror-dos-imigrantes-ilegais-ou-eterna-hipocrisia-da-esquerda/)

Sabe por quê?

Como diz a matéria original, nós escolhemos a matéria com víés que confirma o que JÁ pensamos sobre o assunto.

Meu conselho: SE POLICIE. Vire o investigador profissional cujo principal suspeito é você mesmo. Assim, tu terá um salto de qualidade em tua vida intelectual.

Alguém disse e me esqueci o nome... Crenças baseadas na paixão prestam mau serviço à própria paixão.



...


Nenhum comentário:

Postar um comentário