Não Culpe o Capitalismo



Pessoal, eu,

Anselmo Heidrich, o Fernando Raphael Ferro de Lima e o Luis Lopes Diniz Filho,

administradores dos blogs


respectivamente, acabamos de lançar um libelo da GEOGRAFIA ANTI-MARXISTA, o 1º do país!

Prestigiem...

Compre o livro NÃO CULPE O CAPITALISMO nos links abaixo:




terça-feira, março 14, 2017

O Estado Mínimo e a Defesa Civil

Heróis CM: Bombeiros salvam crianças na Serra do Caramulo. Imagem: cmjornal.pt

Estado mínimo não é estado ausente, não é nenhuma postura irresponsável com a sociedade, mesmo porque o estado mínimo reflete as necessidades da sociedade e sua vontade de investir em uma estrutura disponível para ampará-la. O tipo de liberal que defende o estado mínimo se chama minarquista. O minarquista entende (há séculos) que o estado tem obrigação de tratar da segurança (pública e externa), a saúde e a educação, não impedindo, é claro que setores privados possam atuar na segurança, saúde e educação, desde que respeitando as regras gerais da sociedade, que são dadas por sua constituição e leis ordinárias.
A defesa civil é um dos subsetores ligados à segurança pública e, portanto, apoiado pelos liberais. Desde os tempos do economista escocês Adam Smith, que provou porque o capitalismo faz com que a economia cresça através das especializações profissionais que se sabe que para as atividades serem exercidas com eficácia e competência, as especialidades são necessárias. Porque sem elas não temos aumento de produtividade e sem isto, a riqueza geral reduz e simplesmente não há o que repartir.
Agora, isto é totalmente diferente de setores públicos inchados que servem, no fundo para criar cargos e serem utilizados como moedas de barganha política. Exemplos não faltam em nosso país. Pense na América do Sul e na produção de petróleo... A Venezuela é um grande produtor do óleo, o Equador também tem suas reservas e a Argentina tem uma produção significativa, mas o Brasil, com quase metade do subcontinente produz o petróleo mantendo o preço de derivados como a gasolina como um dos mais caros do planeta.[1] Por quê? Qual a vantagem de ter uma empresa estatal que ainda detém o monopólio de fato se não há redução do custo de produção e, portanto, um preço acessível do combustível na bomba?
Este é um claro exemplo de desperdício do dinheiro público, enquanto que a defesa civil é o oposto.[2] Em poucos episódios anuais que intempéries assolam nosso território, a defesa civil é acionada e cumpre seu papel, enquanto que a nossa “gigante do petróleo” atua todos os dias acumulando recursos para servir de estoque de propinas para políticos votarem de acordo com o governo de ocasião.[3]
Entendeu qual é a diferença entre o estado mínimo e o que defende um estatista que fecha os olhos para o estado agigantado e a corrupção?






[2] Sobretudo em estados como Santa Catarina, diga-se de passagem: Defesa Civil de SC é a mais atuante do Brasil, diz Ministério da Integração #G1 http://g1.globo.com/sc/santa-catarina/noticia/2015/05/defesa-civil-de-sc-e-mais-atuante-do-brasil-diz-ministerio-da-integracao.html?utm_source=twitter&utm_medium=share-bar-desktop&utm_campaign=share-bar Acesso em 14 mar. 17.
[3] 5 coisas que poderiam ser feitas com os 21 bilhões desviados da Petrobras http://veja.abril.com.br/blog/impavido-colosso/5-coisas-que-poderiam-ser-feitas-com-os-21-bilhoes-desviados-da-petrobras/ Acesso em 14 mar. 17.

Nenhum comentário:

Postar um comentário