Não Culpe o Capitalismo



Pessoal, eu,

Anselmo Heidrich, o Fernando Raphael Ferro de Lima e o Luis Lopes Diniz Filho,

administradores dos blogs


respectivamente, acabamos de lançar um libelo da GEOGRAFIA ANTI-MARXISTA, o 1º do país!

Prestigiem...

Compre o livro NÃO CULPE O CAPITALISMO nos links abaixo:




sexta-feira, setembro 06, 2013

Se proteja de tudo que ignora e chame isto de 'política externa'

Imagem: snaphappyross.co.uk
Qual o objetivo de um governo como o nosso em um fórum internacional que discute, justamente, o comércio externo se sua proposta se resume, tão somente, em defender o protecionismo econômico ao lado de uma combalida economia argentina?
Cf.: Vexame em São Petersburgo http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,vexame-em-sao-petersburgo-,1071851,0.htm via @estadao
Quando digo que nossa política externa está mais perdida que cusco em dia de procissão acham exagero. O triste é que, ao contrário de certas políticas internas que podem mudar radicalmente ao cabo de um novo governo eleito, este tipo de atitude pode ter efeito duradouro e sair caro para os brasileiros. Qual nossa credibilidade futura quando quisermos exportar grãos para a china? Motores e metais para a Europa? Alimentos para o Oriente Médio? Ou mesmo ampliar nossos mercados no subcontinente latino-americano e junto a novos países na África? O raciocínio estúpido que embasa a política externa brasileira é de um jogo de soma zero, que professores estelionatários embebidos no marxismo atroz ensinaram a esta cambada de que "se um ganha o outro tem que, necessariamente, perder". A ignorância reside em não entender porque um país ou setor aufere maior renda com o valor agregado de sua produção, i.e., sua produtividade. O grito dos excluídos mentais, isto sim é de que enquanto os pólos da economia mundial sofisticam sua produção com maior aporte de tecnologia graças ao investimento em pesquisa científica e qualificação profissional, eles têm que, por misericórdia, um espírito altruísta digno de uma mente bovina, nos pagar proporcionalmente mais! Isto enquanto nós continuamos dilapidando nossos recursos naturais, sobretudo o pasto e solos de maneira extensiva ampliando a produção horizontalmente, a sua área apenas.

Eu simplesmente não posso crer que seja só uma questão de ignorância e marco ideológico de celerados. Deve haver mais do que isto... Veja que o regime automotivo, como bem lembrado no editorial d'O Estado diz é um dos mais protecionistas. Quem duvida que haja algum beneficiário deste processo que "mais que oriente" alguma política? Não sei de nada e se soubesse, seria melhor fazer apenas uma denúncia anônima. Ou isto ou tomar um café com Celso Daniel antes do esperado...

Nenhum comentário:

Postar um comentário