Não Culpe o Capitalismo



Pessoal, eu,

Anselmo Heidrich, o Fernando Raphael Ferro de Lima e o Luis Lopes Diniz Filho,

administradores dos blogs


respectivamente, acabamos de lançar um libelo da GEOGRAFIA ANTI-MARXISTA, o 1º do país!

Prestigiem...

Compre o livro NÃO CULPE O CAPITALISMO nos links abaixo:




sexta-feira, novembro 20, 2015

A aula do extremista islâmico



Quem diz que educação não tem mais influência ainda não viu isto nem sabe do poder que ela tem em certas regiões do mundo, malgrado as lições ensinadas estão no sentido diametralmente oposto do que gostaríamos...


Neste vídeo, http://www.youtube.com/watch?v=U2tT_3dsgKA vemos a ação de um professor do ISIS, o chamado "estado islâmico" em um vilarejo afegão. Sim, o ISIS chegou no Afeganistão, território disputado entre o Taleban e o governo nacional.


Alguns trechos da aula:


"Que palavra é esta?" ele diz, e responde sua própria pergunta: ". Jihad"

"Jihad", as crianças repetem.

"Deus diz para fazer a jihad até que intriga, idolatria e infidelidade são idos do mundo."

Ele diz a um menino para se levantar. "O que é isto?" ele diz, indicando o seu rifle.

"Kalashnikov".

"Por que nós usamos isso?"

"Para defender a fé."

"E cujas cabeças vamos acertar com isso?"

"Kafir [infiéis]", diz a criança.



Mais tarde os alunos assistem a um vídeo de tortura e decapitação (as meninas sentam ao fundo da sala).


Quem achou exagerado pode ler a matéria na íntegra aqui: Via @NPR: An ISIS School Teaches Jihad To Children At Age 3 http://n.pr/1SEhzz1


No Afeganistão, o ISIS vai entrar em choque certeiro com o Taleban, mais do que o governo de Kabul. "Estamos fartos de todos eles", diz um velho ancião, pois o cidadão comum irá sofrer com o embate.


O que tem que ficar claro é que seja ou não simpático ao islã (eu mesmo sou antipático a ele e a qualquer religião), o fato é que as primeiras vítimas serão os muçulmanos que não se dispõem a pegar em armas para fazer uma guerra santa. Estes que desejam levar suas vidas em paz é que deveriam ser apoiados contra o inimigo comum. Sei que esta é uma longa discussão, mesmo porque tentativas como esta que sugiro já aconteceram e, no mais das vezes, acabaram fortalecendo regimes também despóticos. Bem... Uma coisa é fato, sem o apoio a quem pode se opor aos extremistas, justamente estes é que tomarão o espaço vago deixado por um poder enfraquecido.


....

Nenhum comentário:

Postar um comentário