Não Culpe o Capitalismo



Pessoal, eu,

Anselmo Heidrich, o Fernando Raphael Ferro de Lima e o Luis Lopes Diniz Filho,

administradores dos blogs


respectivamente, acabamos de lançar um libelo da GEOGRAFIA ANTI-MARXISTA, o 1º do país!

Prestigiem...

Compre o livro NÃO CULPE O CAPITALISMO nos links abaixo:




segunda-feira, março 26, 2012

Onanismo epistemológico e estelionato científico

Quando li o, até então marxista, Manuel Castells em seu A Questão Urbana, ele deixava claro que não poderia haver uma teoria do espaço desvinculada da sociedade. Eu não concordo com isto porque acho que podemos, muito bem falar de encostas e isotermas sem mencionarmos as cidades, mas eu entendi o que autor disse. O que me espanta nesses 'espaciólogos', muitos dos quais geógrafos é que há uma necessidade muito grande de converter o espaço em uma categoria autônoma, auto-suficiente teoricamente, ao mesmo tempo em que criticam os positivistas por sua busca obstinada por um objeto e adoção da lógica-formal. Em contraposição, sua mítica 'lógica dialética' lhes indicaria, automaticamente, o objeto a ser estudado. Algumas situações que vivenciem me mostraram quão estúpida é esta forma de pensar: certa vez encontrei uns estudantes de física na USP, na época em que fazia meu mestrado e empolgado com este discurso dos geógrafos de então lhes perguntei:
-- Como vocês estudam o espaço? -- os sujeitos devem ter me tomado por um idiota ou, na melhor das hipóteses, alguém drogado e responderam com outra pergunta -- De que forma? -- Ou seja, não se estuda o espaço em si, como se não fosse uma condição entre objetos dada pela distância ou outras categorias. O vácuo em si não é o que o importa e as categorias utilizadas têm que vir acompanhadas de conceitos precisos e não meras metáforas com as quais estes pesquisadores se torturam em uma espécie de onanismo epistemológico.
Outro caso interessante foi quando tive aula (se é que aquilo podia se chamar assim...) com Ana Fani Alessandri Carlos e ao eu ter feito um comentário citando Richard Hartshorne, para quem as ciências não se dividem por seus objetos, mas por seus métodos, pois afinal, tanto a geografia como a biologia podem estudar o meio ambiente a supracitada professora me respondeu que cometi uma falha "porque Hartshorne é um neopositivista". E? E... Qual a sequência do argumento? Nada. Simplesmente parou por aí. 
Sinceramente, este pessoal, os espaciólogos têm que ser denunciados mesmo, com artigos e posts, pois o que fazem é um verdadeiro estelionato científico.
Cf.: Tomatadas: Tese central de Santos, Harvey e Soja é só "malabarismo retórico"

Nenhum comentário:

Postar um comentário