Não Culpe o Capitalismo



Pessoal, eu,

Anselmo Heidrich, o Fernando Raphael Ferro de Lima e o Luis Lopes Diniz Filho,

administradores dos blogs


respectivamente, acabamos de lançar um libelo da GEOGRAFIA ANTI-MARXISTA, o 1º do país!

Prestigiem...

Compre o livro NÃO CULPE O CAPITALISMO nos links abaixo:




domingo, julho 24, 2011

Equívoco de análise: a partidarização ideológica do terrorismo


(...)
Desde então, grupos de extremistas de direita noruegueses parecem ter criado laços com a comunidade de criminosos, assim como grupos similares no exterior, na Europa, Rússia e EUA.A Suécia, ao contrário, viu uma grande diminuição da atividade extremista desde seu auge em meados dos anos 90, quando seus jornais publicaram fotos de todos os neonazistas conhecidos do país.Mas, ao mesmo tempo, a Expo relata como a repulsa mostrada pelos suecos nos anos 90 vem se transformando cada vez mais em curiosidade sobre a suavizada retórica da extrema direita.Sentimentos parecidos tem aflorado na Noruega, onde políticos discutem abertamente preocupações sobre como a cultura do país seria diluída pela imigração vinda de países com valores e religiões diferentes.Mas após os ataques em Oslo e Utoeya, será interessante observar se muitos no país vão desenvolver uma visão mais sofisticada a respeito de onde vêm as maiores ameaças, em meio ao entendimento de que o extremismo pode ser mortal, independente de nacionalidade, etnia ou religião.
Cf.: BBC Brasil - Notícias - Análise: a ameaça da direita extremista na Noruega

Anders Behring Breivik é
considerado um simpatizante da extrema direita
Terrorista é terrorista, todos devem ser punidos e encarcerados pelo resto da vida (no mínimo). Não há predileção de direita ou esquerda com a violência, são apenas criminosos da pior espécie. Politizar esta barbárie é o caminho para dividir a humanidade insanamente e não nos unificar contra a violência. O argumento da matéria acima é o mesmo dos que acusam o terrorismo como tendo pedigree islâmico. Sofisma.

A questão é por que os jornalistas associam, sem nenhum pudor, este ato terrorista à direita, mas quando se trata de outros, como o de Battisti ou de forças árabes claramente anti-capitalistas, não se trata de "esquerda"? Seria porque entendem que "a esquerda mudou", mas não encaram o mesmo fato para a direita?

Isto não é jornalismo e sim propaganda ideológica que permeia fatos levantados pela mídia. Cuidado ao lê-los para não comprar gato por lebre.
...

Nenhum comentário:

Postar um comentário