Não Culpe o Capitalismo



Pessoal, eu,

Anselmo Heidrich, o Fernando Raphael Ferro de Lima e o Luis Lopes Diniz Filho,

administradores dos blogs


respectivamente, acabamos de lançar um libelo da GEOGRAFIA ANTI-MARXISTA, o 1º do país!

Prestigiem...

Compre o livro NÃO CULPE O CAPITALISMO nos links abaixo:




terça-feira, agosto 09, 2011

Deus, surf e o humor


Se ter uma concepção benevolente de deus implica em uma melhor saúde pública, então não se trata de doença ou transtorno, mas de uma postura em relação a vida. Agora, em que medida isto influencia a cura ou recuperação de tratamentos parece sim uma questão digna de estudo. Mas daí, a bem da verdade, a questão não seria necessariamente deus, mas sim qualquer estado de satisfação e bem estar que viesse a influenciar o enfermo. 

Talvez, o surf, assim como deus viesse ajudar os pacientes...





Pesquisadores descobriram que as pessoas que acreditam em um Deus benevolente tendem a se preocupar menos e serem mais tolerantes do que as pessoas que acreditam que Deus é um ser punitivo ou indiferente.
David H. Rosmarin e seus colegas da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, destacam a urgência de que os profissionais de saúde mental integrem as crenças espirituais de seus pacientes na formulação dos tratamentos.
(...)
Eles destacam o fato de que, embora mais de 90% da população afirme acreditar em Deus ou em uma "força superior", e cerca de 50% afirmar que a religião é muito importante em suas vidas, os médicos ainda não levam a espiritualidade em conta no atendimento aos pacientes.
"Isso é loucura," diz ele. "Nós nem mesmo perguntamos. Nós não somos treinados para fazer isso. E isso é importante," afirma, acentuando que não se trata de uma questão religiosa, mas de uma questão de saúde pública.
Concepção de Deus altera níveis de preocupação e estresse: "As pessoas que acreditam em um Deus benevolente tendem a se preocupar menos e serem mais tolerantes do que as pessoas que acreditam que Deus é um ser punitivo ou indiferente."


Nenhum comentário:

Postar um comentário